#14 Corrida e emagrecimento - mitos e verdades


Não é incomum vermos pessoas falarem que já correm há tanto tempo e não conseguem emagrecer. Mas qual a relação entre corrida e emagrecimento? Será que só correr já garante emagrecer?

Antes de mais nada temos que dizer uma grande verdade: o que emagrece de verdade é conseguir um débito calórico (gastar mais que o que ingere) durante um período de tempo. E não basta apenas "cortar" X alimentos, o ideal é uma dieta balanceada para que não falte nutrientes necessários para o dia a dia, por isso um trabalho aliado com nutricionistas é sempre bem vindo.

Agora em se tratando de corrida, devemos pensar sempre em gastos calóricos e simultaneamente no tipo de dano muscular que o corpo sofre com cada tipo de treino.

Treinos mais intensos como de tiros ou de fartlek, geram um alto gasto calórico durante da atividade, porém apresentam a particularidade de continuar "gastando energia" após o término do treino para recuperar as condições fisiológicas geradas na sessão.

Treinos de baixa intensidades e durações mais longas têm um menor gasto calórico durante sessão e não gastam calorias para a recuperação de resíduos, mas o trunfo desse tipo de treino é justamente a maior duração, somando calorias durante o tempo percorrido. Aqui vale a pena ressaltar que talvez (dependendo da intensidade, do percurso com ou sem altimetria) o corpo gaste energia para restituição de estruturas físicas como musculatura por exemplo.

Treinos com grandes desgaste de estruturas físicas como treinos de subida por exemplo, vão gerar um gasto energético após o término da sessão para reequilibrar a condição estrutural de músculos, tendões e ligamentos.

Mas qual a melhor estratégia então para utilizar da corrida como meio para o emagrecimento? Cada treino leva a um tipo de desgaste e o corpo precisa de um certo período de recuperação para realizar o mesmo tipo novamente, ou seja, não adianta escolher o que mais gasta calorias e fazer sempre esse treino pois se estiver ainda no "período de recuperação" referente a aquele estímulo, o rendimento será muito menor, o risco de lesão será elevado, e o resultado pode ser justamente ao contrário do esperado em relação ao gasto de calorias.

Outra questão é que nosso corpo é extremamente adaptativo. Se a corrida é utilizada sempre com o mesmo estímulo (exemplo correr sempre as mesmas distâncias com as mesmas intensidades), o corpo irá se tornar mais econômico para o estímulo e gastará cada vez menos calorias para executar essa tarefa.

Portanto, o ideal é alinhar uma periodização compostas de diversos tipos de treino, equilibrando-os em suas peculiaridades de gasto energético, necessidade de recuperação física e fisiológicas e aliando isso a uma dieta que condiz com o objetivo de emagrecimento e de recuperação em relação aos treinos.

Bons treinos e use a corrida com sabedoria em seus objetivos!



Fábio Targas Gonçalves

CREF: 091562-G/SP


169 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo