#11 Economia de corrida, o grande diferencial na performance


Existem 3 formas de melhorar a performance na corrida: 1. Evoluir nos aspectos ligados à fisiologia: Vo2 máximo, 1º e 2º limiares de lactato, adaptação a níveis elevados de lactato, resistência de velocidade, entre outros;

2. Aspectos ligados a questões físicas: força, potência, restituição de energia elástica, etc;

3. Economia de gesto motor, que em relação a corrida chamamos de Economia De Corrida. Mas o que seria isso?


Economia de corrida é uma variável que combina questões fisiológicas e físicas que combinadas deixam o atleta mais econômico para realizar o mesmo gesto motor. Questões como melhora da técnica de movimento, melhora dos componentes elásticos musculares e a adaptação a correr na intensidade que se almeja são forma de olharmos para essa variável. Ou seja, é tornar o atleta o mais econômico possível para uma certa distância e a uma dada velocidade.

Muitas pessoas acreditam que basta melhorar os seus níveis fisiológicos principalmente, com treinos de tiro ou fartlek e treinos mais longos combinados. Mas isso já foi provado cientificamente que não é bem assim. Os grandes corredores da África sub saariana como Quênia, Etiópia e Eritréia não necessariamente possuem os maiores Vo2 e outros limiares maiores dentre seus pares de elite observando o mundo todo. Seu grande diferencial é justamente a economia de corrida, que dentre todos atletas do mundo apresentam as maiores taxas. Ou seja, o que faz com que eles sejam os campeões na maioria das grandes provas é justamente o quão econômicos a mais eles são para correr na mesma velocidade que seus adversários.

E como melhoramos isso então? Melhorando a técnica do movimento você gasta menos energia desnecessária, usando essa reserva no próprio gesto correto, potencializando o movimento. Trabalhos de pliometria, corridas curtas em velocidade máxima ou corridas em declives vão melhorar tanto a potência que os músculos conseguem realizar o movimento, bem como a restituição de energia elástica de estruturas moles (tendões e ligamentos) que funciona como uma mola que absorve a energia ao tocar o solo e a devolve na impulsão da próxima passada. Achar uma cadência de corrida ideal para você também faz diferença nos fatores anteriormente mencionados. Por fim e não menos importante, acostumar a correr no ritmo almejado o torna mais econômico para aquela velocidade. Por isso treinos de ritmo ou pacerun são fundamentais para uma boa performance, e por isso também não adianta treinar em um ritmo e querer competir em um muito além do treinado durante a periodização.

Existe muita ciência por trás da economia de corrida, e já foi provado ser um grande diferencial no resultado final em provas e objetivos. Bora ser mais econômico?


Fábio Targas Gonçalves

CREF: 091562-G/SP


74 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo