#25 O tênis de alta performance corre sozinho? É para todo mundo?


Todos os dias, surgem materiais novos que buscam de alguma forma atender as necessidades de um público específico. Nos últimos tempos a performance na corrida se tornou alvo de melhorias feitas, principalmente, em calçados esportivos. A procura por esse material mais tecnológico aumentou muito, mas aí vem a grande questão: esses tênis são pra todo mundo? É só calçar esses tênis que haverá melhora na performance necessariamente?

Primeiramente, vamos falar sobre o que causa essa melhora no desempenho esportivo nesses calçados. Cada marca possui sua tecnologia própria. Não vamos entrar no mérito de qual é melhor em relação às outras, mas a mais comum é a introdução de placas de carbono entre o EVA do solado do tênis. O que queremos abordar é o que essa evolução na composição do material causa. A grande questão então é a restituição de energia elástica que causam.

Mas o que é energia elástica? Algumas estruturas em nosso corpo tem a propriedade de "armazenar" energia cinética (energia gerada pelo movimento) e usá-la para gerar um novo movimento. No caso da corrida, quem atua nesse armazenamento são os tendões que absorvem a energia no momento da aterrissagem de uma passada (como se estivesse apertando uma mola) e, no momento da aceleração da passada para tirar o pé novamente do chão, usa essa energia para compor o movimento.

E por que isso é tão importante? Melhorando este componente biomecânico da corrida, gastamos menos energia para a execução do movimento e consequentemente nos tornando mais econômicos para a velocidade que está acostumado, bem como sobra energia para fazer mais força e obter melhora de desempenho (no caso melhorar o pace).

Mas aí é que entra a grande questão da abordagem de nosso texto. Essa melhora de performance só acontece acima de determinada velocidade pois para essa restituição de energia elástica ocorrer, o pé não pode ficar muito tempo em contato com o solo (o que sugere uma cadência de corrida relativamente alta) para não dissipar essa energia de movimento no solo. Então as inovações tecnológicas só terão efetividade em alta velocidade (paces mais baixos).

Ou seja, o tênis é para qualquer um? Depende… Se estivermos falando exclusivamente de performance a resposta é definitivamente não. Pelo contrário, usá-los em velocidades muito baixas e sem as devidas adaptações ao estímulo necessários, pode gerar sobrecarga em outras estruturas como joelhos, chegando a casos extremos de gerar lesão. Para usufruir da tecnologia em questão, é necessário experiência na corrida (adaptação mecânica ao gesto motor da corrida), um certo nível aprimorado de desempenho e um investimento financeiro grande para o material (o custo de um tênis desse é bem acima de 90% dos tênis para a corrida). Portanto antes de migrar para um material desse é importante ter a ciência se o custo/benefício dele compensa para você.

Lembrando que estamos abordando única e exclusivamente a questão performance. Se gosta do tênis por estética, conforto ou qualquer outro atributo que lhe seja interessante, e a questão do investimento financeiro não é problema, então use-o e seja muito feliz.

O grande ponto aqui é: o tênis não corre sozinho. Não é só colocá-lo no pé que seu pace diminuirá consideravelmente ao realizar suas corridas. Lembre-se: o tênis não corre sozinho! Se você como atleta não fizer a sua parte e não estiver apto para obter as melhorias geradas pelo material, será um investimento sem retorno.

Bons treinos e boa evolução de performance!


Fábio Targas Gonçalves

CREF: 091562-G/SP

Targas Personal Coach - Assessoria Esportiva

@fabiotargas

@targaspersonalcoach

63 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo